O azeite

Saboroso e benéfico para a saúde

O azeite é um produto alimentar, usado como tempero, produzido a partir da azeitona, fruto advindo das oliveiras. Trata-se, pois, de um alimento antigo, clássico da culinária contem­porânea, regular na dieta mediterrânea e nos dias atuais presente em grande parte das cozinhas. Além dos benefícios para a saúde o azeite adiciona à comida um sabor e aroma peculiares.
A região mediterrânea, atualmente, é respon­sável por 95% da produção mundial de azeite, favorecida pelas suas condições climáticas, propícias ao cultivo das oliveiras, com bastante sol e clima seco.

História

A origem da oliveira, na sua forma primitiva, remonta à Era Terciária, anterior, portanto, ao aparecimento do homem, e se situa na Ásia Menor, provavelmente na Síria ou na Palestina, regiões onde foram descobertos vestígios de instalações de produção de azeite e fragmen­tos de vasos datados do começo da Idade do Bronze. Contudo, em toda a bacia do Medi­terrâneo foram encontradas folhas de oliveira fossilizadas, datadas do Paleolítico e do Neo­lítico, sendo também pesquisada a sua origem ao sul do Cáucaso, nos altos planos do Irã.

No Brasil

O Brasil é o sétimo maior importador mundial de azeite de oliva e o segundo de azeitonas pelo fato de não plantar oliveiras. Mas esta realidade está mudando. A EPAMIG - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais é pioneira nas pesquisas sobre a oliveira desde 1986, especia­lmente na seleção de variedades mais ade­quadas às condições brasileiras de clima e na produção de mudas de qualidade. As pesqui­sas sobre as oliveiras estão concen­tradas na Fazenda Experimental de Maria da Fé, uma pequena cidade do Sul de Minas Gerais, com resultados muito promissores para o desenvol­vimento da cultura no Brasil. No dia 29 de Fevereiro de 2008, foi realizada com sucesso a primeira extração de azeite de oliva em terras brasileiras, e na análise de labora­tório, o óleo extraído foi classificado como extra-virgem, comparável aos melho­res do mundo, com índices de acidez entre 0,3 a 0,7.
Há dois anos iniciaram-se as safras em Santa Catari­na com capacidade de produção de óleo. A EPAGRI estima a produção de óleo industri­alizado em grande es­cala até 2011. Várias regiões deste Estado são propícias ao cultivo de azeitonas, princi­palmente o Oeste e Sul.

top